Você esta aqui Página Inicial Notícias 2017 Abril Ministra Luislinda Valois destaca utilidade pública do Disque 100 em evento sobre balanço das denúncias recebidas em 2016

2017

Abril

Ministra Luislinda Valois destaca utilidade pública do Disque 100 em evento sobre balanço das denúncias recebidas em 2016

Ministra Luislinda Valois destaca utilidade pública do Disque 100 em evento sobre balanço das denúncias recebidas em 2016

Racismo também foi destaque na fala da ministra, que afirmou a necessidade do Brasil e do mundo aceitar as pessoas como são, independentemente de raça, religião, cor ou gênero. Foto: Luiz Alves

11/04/2017

A ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois, abriu a solenidade de divulgação dos dados do Disque Direitos Humanos - Disque 100, ressaltando a importância da denúncia e as devidas punições aos agressores. O evento aconteceu na tarde desta terça-feira (11), em Brasília.

Download da apresentação completa - Dados Disque 100 - 2016

“O Disque 100 é um serviço de utilidade pública que devemos nos orgulhar. Pessoas em situação de vulnerabilidade têm mais esta opção para recorrer. Integrantes de comunidades tradicionais, crianças e adolescentes, mulheres, pessoas idosas, refugiados, LGBTs, pessoas com deficiência e quaisquer que tenham seu direito violado. O nosso trabalho é possibilitar meios para que as vítimas encontrem o socorro almejado. Todos nós temos que ser mais humanos para com todos os seres humanos, esquecermos os títulos e as rotulagens. Queremos as devidas punições para os agressores, o respeito à Constituição e garantir as ações promovidas no âmbito federal”, enfatizou Luislinda.

O racismo também foi destaque na fala da ministra, que afirmou a necessidade do Brasil e do mundo aceitar as pessoas como são, independentemente de raça, religião, cor ou gênero.

“Precisamos de oportunidade e igualdade de tratamento, além de acesso aos nossos direitos básicos como de ir e vir, de acesso à saúde, à educação, e outras tantas políticas públicas. Precisamos de uma vida digna e respeitada. As discriminações são tão gritantes em nossa sociedade, sendo o racismo o mais gritante. Ele é abominável e tão perverso que mata a alma do cidadão e destrói o seu físico. Precisamos acabar com essa discriminação, pois é inaceitável”, disse.

Luislinda comentou ainda sobre a prática de crimes de ódio na internet e exemplificou, com o uso de um celular, a ilusão de falta de punição para quem utiliza meios virtuais na prática da disseminação do preconceito. “Com o Disque 100, vamos reduzir a maldade contra o ser humano. Vamos unir forças na busca de um país mais justo e igualitário”.

Além da ministra, estiveram presentes a ouvidora nacional de Direitos Humanos, Irina Bacci, e a secretária nacional de promoção dos direitos da criança e do adolescente, Cláudia Vidigal.

133 mil denúncias em um ano

A Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos recebeu 133.061 mil denúncias de violação de direitos humanos no ano de 2016. O módulo Crianças e Adolescentes lidera a quantidade de ligações que o Disque Direitos Humanos – Disque 100 registra, somando 76 mil atendimentos, 58% do total. Pessoa Idosa (32.632) e com Deficiência (9.011) ocupam, respectivamente, o segundo e terceiro lugar no recebimento de denúncias.

Em 2016, a Ouvidoria Nacional do Ministério dos Direitos Humanos (MDH) realizou 353.417 atendimentos, sendo 133.061 (37%) referentes ao registro de denúncias de violações de direitos humanos. No mesmo ano, houve um aumento considerável no número de informações disseminadas devido à campanha de enfrentamento a Dengue, Chikungunya e Zika Vírus.

Para a maioria dos módulos houve recuo no registro de denúncias em relação ao ano anterior. Os módulos Igualdade Racial, Pessoa Idosa, População em Situação de Rua e Pessoa em Privação ou Restrição de Liberdade tiveram aumento no registro de violações, mantendo a tendência do ano anterior.

Compartilhar

Desenvolvido com o CMS de código aberto Plone